Banner campanha1
Banner campanha2

Como o ato de brincar melhora muito o desenvolvimento infantil?

Por meio do brincar, os pequenos exploram o mundo ao seu redor, atribuem significados às suas experiências e constroem suas próprias identidades. Confira mais no artigo!

Em geral, referimos à brincadeira como algo de fácil execução, insignificante e que não oferece utilidade ou vantagem nenhuma. Nada mais equivocado do que esse tipo de pensamento, uma vez que as atividades lúdicas podem colaborar (e muito!) para o desenvolvimento infantil.

O sentido do brincar é muito mais amplo e complexo do que a mera recreação. Por meio dele, os pequenos exploram o mundo ao seu redor, atribuem significados às suas experiências e constroem suas próprias identidades.

Há uma série de motivos que explicam à família porque é interessante encorajar, desde cedo, as crianças a brincarem. Abaixo elencamos alguns, confira.

Facilita a autonomia

O brincar autodirigido (aquele em que a criança é a protagonista, ou seja, ela mesma escolhe as diretrizes e os comandos do jogo) é comprovadamente o mais eficaz em relação à aprendizagem. Um pequeno incentivo e motivação inicial de um adulto são suficientes para proporcionar prazer e interesse na criação da própria brincadeira.

As regras, elaboradas durante a atividade, colaboram para a regulação do comportamento social e emocional, isto é, ensinam os pequenos a se controlarem e agirem em várias situações do dia a dia. Oferecer autonomia permite, igualmente, o desenvolvimento do senso de responsabilidade, da organização e da autoconfiança.

Desperta a criatividade

Crianças são naturalmente curiosas e inventivas. Oportunizar situações e brincadeiras que estimulem a imaginação e a criatividade são maneiras de permitir que elas construam, pouco a pouco, o seu modo de expressão, ou seja, que desenvolvam a própria personalidade.

Brincando, elas descobrem que são capazes de interferir e transformar o mundo que as rodeia. O universo lúdico possibilita a fantasia, o faz-de-conta, a experimentação de papeis sociais. Essas diferentes formas de imitação e interação com o outro facilitam o crescimento e na medida em que revelam que as adversidades são contornáveis e que há muitas formas possíveis de ser, existir e agir.

Estimula o desenvolvimento motor

É muito importante incentivar as crianças a conhecerem e estabelecerem relações sadias com o próprio corpo. Para que o desenvolvimento infantil seja mais efetivo, é interessante estar atento às múltiplas dimensões dos sujeitos: emocional, social, intelectual e física.

O estímulo motor propiciado pelo ato de brincar promove esse aprendizado pleno, visto que ele melhora não somente a capacidade motora da criança, mas também cria meios para a expressão de seus desejos, incômodos e necessidades, bem como, de trabalharem as suas dificuldades. A consciência corporal também está diretamente ligada à criação de mecanismos de autoproteção e autocuidado.

Aumenta a concentração

Hoje em dia, as crianças são excessivamente estimuladas, recebendo informações por todos os lados e a todo momento. Nesse contexto, a dificuldade de concentração e a ansiedade se tornaram problemas recorrentes.

Por ser divertido e prazeroso, o brincar permite que elas sejam absorvidas por aquilo que estão fazendo, dedicando-se profundamente na resolução e alcance dos seus objetivos. Brincar exige atenção cognitiva e emocional, e isso contribui para que o seu filho esteja não apenas mais concentrado, como também mais compromissado e empenhado na consecução de tarefas que ele mesmo imaginou e se propôs a realizar. Nesse sentido, brincar é coisa séria e revela-se excelente aprendizado.

Esses são apenas alguns dos inúmeros benefícios do ato de brincar. Importa frisar que os adultos podem participar das brincadeiras, dado que o seu envolvimento torna os laços afetivos mais sólidos e as relações familiares mais saudáveis.

Esperamos ter colaborado, por meio deste artigo, para a desconstrução da ideia de que a brincadeira é desimportante e deve apenas servir como um passatempo. Por meio dela, as crianças vivem e aprendem a viver!